Pesquisar

Bloco de Esquerda

Vila Nova de Gaia

Voto de Saudação aos Trabalhadores em Greve nos CTT e no Sector da Grande Distribuição

Voto de Saudação aos Trabalhadores em Greve nos CTT e no Sector da Grande Distribuição

Vila Nova de Gaia, sendo o terceiro município mais populoso do país, e tendo em simultâneo uma crescente concentração de áreas comerciais, não podia ficar indiferente às lutas levadas a cabo nos últimos dias nos sectores da grande distribuição e logísticas, bem como dos CTT.

Quanto a esta empresa, está prevista a supressão de 800 postos de trabalho, a venda de património e o encerramento de mais balcões, sendo que, desde a sua privatização temos assistido a uma degradação constante dos serviços postais e a uma crescente mercantilização das lojas e a uma aposta quase exclusiva no sector bancário. O serviço público tem vindo a ser relegado para um segundo plano ou mesmo para plano algum, sendo que, cada vez mais existem falhas graves no serviço postal, o serviço que devia exigir um cuidado especial por ser da maior relevância para a população.

Por outro lado, a grande distribuição e as logísticas têm as tabelas salariais congeladas há dez anos, tendo havido apenas uma actualização mínima de 2% em 2016 para evitar a caducidade do Instrumento de Regulamentação Colectiva negociado entre a APED e a Federação dos Sindicatos do Comércio e Serviços. Com a aprovação do orçamento de estado para 2018, todos os escalões abaixo dos operadores especializados ficam ultrapassados pelo aumento do Rendimento Mínimo Mensal Garantido, mais conhecido como ordenado mínimo. A par das questões salariais estão outras, como a justa reivindicação da eliminação da tabela B que contempla todos os distritos que não Lisboa, Porto ou Setúbal. Significa isto que, para as mesmas funções existem duas tabelas diferentes consoante a zona geográfica. Mas também a utilização em massa de vínculos laborais precários com recurso a instrumentos introduzidos na legislação laboral pelo governo anterior e que, até ao momento, o actual governo persiste em manter, como é o exemplo da motivação de primeiro emprego para contratos a termo que pode contemplar pessoas que já tiveram dezenas de vínculos laborais desde que nunca sem termo. Por outro lado, a

desregulamentação dos horários de trabalho que leva a uma impossibilidade de haver uma programação de vida e principalmente uma regular vida familiar para todos os operadores de lojas da grande distribuição.

Acresce à motivação, desta greve em particular, a justa reivindicação da negociação do Contrato Coletivo, o instrumento de negociação entre as partes, que se mantém, por decisão politicamente vincada do anterior governo, mas também por teimosia e alguma cobardia por parte do atual, em permanente risco de caducidade.

Reunida a 28 de Dezembro de 2017, a Assembleia da União de Freguesias de Mafamude e Vilar do Paraíso, delibera saudar a luta de todos os trabalhadores, quer sejam residentes na União de Freguesias, ou noutras do Concelho a trabalhar em instalações da grande distribuição e dos CTT a operar em Vila Nova de Gaia, em concreto nas greves levadas a cabo nos dias 21 e 22 (CTT) e 22, 23 e 24 do corrente mês, na grande distribuição e logísticas, por melhores condições de trabalho e salários mais justos.

Vilar do Paraíso, 28 de Dezembro de 2017

O representante do Bloco de esquerda

___________________________________
(Tiago André Pinheiro Serafim dos Santos)

Proposta das Opções do Plano e Orçamento para 2018

Sobre a Proposta das Opções do Plano e Orçamento para 2018

Em relação à proposta de Plano e Orçamento para 2018, o executivo da Junta de
Freguesia de Canidelo, apresenta neste documento os traços gerais do que se
propõe executar.
É necessário que tenhamos como base de partida para a análise deste documento,
a noção de que a correlação de forças nesta Assembleia responsabiliza o actual
executivo de forma muito mais vincada, uma vez que a actual foi claramente
premiada pelos eleitores pelo seu mandato anterior. Longe de permitir um
caminho de facilitismo, um resultado expressivo como o que o PS obteve, quer
para a Junta de Freguesia, quer para a Câmara Municipal, reforça em muito a
responsabilidade dos actuais executivos e obriga-os a cumprirem, e a superarem
as expectativas dos eleitores. Em última análise, que é na realidade a primeira, os
eleitores confiaram nos executivos e atribuíram-lhes mandatos reforçados, mas
também alteraram correlações de forças, como aviso penalizador a formas
equívocas de fazer política ou como expressão clara de voto útil.
Esta proposta das Opções do Plano e Orçamento não diverge da linha que vinha
sendo seguida pelo anterior executivo. De realçar pela positiva o reforço da
contribuição do município, sabendo nós que as receitas estão longe de ser as
ideais para o cumprimento de todas as propostas concretas. As freguesias
encontram-se, de certa forma, estranguladas por uma concepção de poder
autárquico que teima em não fazer chegar a quem está mais próximo das
populações os meios necessários para uma resolução de alguns problemas na sua
raiz, na mais pequena parcela administrativa do Estado onde frequentemente a
política é exercida olhos nos olhos.
Na mesma linha, temos de referir que se trata de um Orçamento equilibrado
tendo em conta precisamente as Opções que se estabelecem ao longo do
documento. Destacamos pela positiva a forte componente da acção social da
intervenção da Junta de Freguesia. Continuamos a defender como prioridades, tal

como o fizemos em 2017, defendemos justamente o apoio a solidariedade social,
o associativismo e práticas dinâmicas e activas de cidadania, bem como nos
preocupam as questões da mobilidade e dos transportes.
A par da questão da intervenção social, outro aspecto não pode deixar de ser
mencionado como positivo: a integração de precários nos quadros da Junta de
Freguesia. Percebemos que há esse traço comum entre as várias freguesias e
município, essa deve ser uma prioridade absoluta. Por isso, congratulamo-nos que
esteja contemplada nesta Proposta de Plano e Orçamento.
Por outro lado, preocupa-nos o facto de este orçamento ainda não contemplar
uma preocupação com modelos referenciais de inclusão, sobretudo para cidadãos
com dificuldades físicas ou psicológicas específicas e com mobilidade reduzida.
Também nos inquieta que ainda não estejam contemplados mecanismos de
participação democrática activa como poderia ser prática corrente e modelo o
“Orçamento Participativo”, um instrumento fundamental para a promoção da
cidadania e para o reforço dos mecanismos democráticos em todas as dimensões
do poder local.
Como referimos atrás, na actual conjuntura, a ampla maioria que este executivo
possui, atribui-lhe responsabilidades acrescidas mas também um caminho
facilitado, pelo que, consideramos ser a abstenção a opção mais adequada
perante este documento em apreço.

Canidelo, 27 de Dezembro de 2017
O Grupo do Bloco de Esquerda
Maria João Rodrigues
Paulo Mouta

Bloco de Esquerda de Gaia recomenda à Câmara protecção de animais nos circos. PS chumba.

Na última sessão da Assembleia Municipal de Vila Nova de Gaia, dia 30 de Novembro, o Bloco de Esquerda apresentou em conjunto com o PAN, uma Moção / Recomendação ao executivo municipal para que fosse fiscalizado o cumprimento do da Portaria 1226/2009. Esta Portaria proíbe a utilização em espectáculos circenses de animais selvagens adquiridos ou que se tenham reproduzido depois da sua entrada em vigor.

Nesta época em particular multiplicam-se as companhias circenses com instalações licenciadas no nosso concelho, sendo evidente que não existe uma fiscalização quanto a estas matérias, até por termos verificado em algumas das instalações a existência de animais em condições impróprias e indignas, que seguramente não cumprem os requisitos da citada Portaria, encontrando-se assim, em situação de ilegalidade.

A apresentação e votação ocorreram no Período Antes da Ordem do Dia, tendo o resultado sido a rejeição com os votos contra do PS, abstenção do PSD, CDS e CDU e votos favoráveis do Bloco de Esquerda e PAN

Os nossos resultados em Gaia

Na totalidade do concelho, o Bloco aumentou substancialmente o número eleitos – que passou de 4 para 10 – e foi a terceira força em todas as freguesias em que concorreu, bem como na votação geral para a Câmara e Assembleia Municipal.

Apesar disso, estes são uns resultados ainda muito fracos, que não estão à altura do que se pode esperar de um partido com a presença que o Bloco hoje tem na cena nacional.

A Câmara de Gaia continua a não ter um vereador do Bloco, tendo até sido reduzido ainda mais o pluralismo político do Executivo municipal (que já era pouco), com 9 vereadores de uma lista e 2 de outra.

Na Assembleia Municipal, a nossa representação passou de 1 para 2 deputados municipais.

Nas freguesias, passámos de 3 eleitos para 8, no total, elegendo 2 em Mafamude / Vilar do Paraíso e em Canidelo (onde só tínhamos 1), mantivemos 1 em Santa Marinha / Afurada e elegemos em Gulpilhares / Valadares, em Vilar de Andorinho e em Oliveira do Douro, onde não tínhamos representação.

O Bloco concorreu apenas a 10 das 15 freguesias e uniões de freguesias do concelho, de qualquer modo foi o maior número de candidaturas que alguma vez tivemos.

Noite eleitoral na sede de Gaia

A partir do fim da tarde de domingo, estaremos na nossa sede concelhia, na Avenida da República, 396, a acompanhar a evolução dos resultados em Gaia, no resto do país e num certo e determinado rectângulo relvado onde se prevê também uma animada disputa pelo primeiro lugar.

Todas as pessoas (com partido e sem partido, com clube e sem clube) são muito bem-vindas para um convívio não sectário, como sempre.

Podem trazer comidas e bebidas, se quiserem, para animar ainda mais a noite. Beberemos para comemorar os bons resultados. Sempre divertidos e sem stress, que isto é Gaia, é Bloco, é Bloco de Gaia.

BE a verdadeira alternativa em Gulpilhares e Valadares

Na tarde desta quinta-feira, Margarida Moreira (candidata à UF Gulpilhares e Valadares) e Renato Soeiro (candidato à CM Gaia) visitaram as duas freguesias, com uma comitiva de bloquistas onde esteve presente também Luís Monteiro (Deputado na Assembleia da República).

Visitamos vários comércios locais e ouvimos o que os comerciantes pedem para os apoiar, bem como ouvimos a população local a reivindicar mais e melhores transportes, melhores passeios e estradas.

Como o BE estará sempre junto dos trabalhadores e nas suas lutas, hoje estivemos com os trabalhadores da Cerâmica de Valadares, que logo nós deram Força para continuar com o nosso Trabalho.

 

22140054_1593680237319054_143357783_o

Oliveira do Douro deu força a Vítor Barros

Mesmo na recta final da Campanha eleitoral, Vítor Barros, candidato à Freguesia de Oliveira do Douro, esteve junto de quem realmente necessita, e ganhou mais força, com encorajamento dado pela população.

Oliveira do Douro sabe que pode contar com o apoio do Bloco de Esquerda na sua junta, por essa mesma razão o Voto será em Vítor Barros, pois só o BE pode dar voz a quem Mais necessita.

A Luta hoje foi com os Trabalhadores

Pela manhã conversamos com os Trabalhadores de Águas de Gaia, mostrando que o Bloco esta presente e irá lutar por todos. Percorremos também as ruas circundantes para mostrar aos Gaienses que têm uma alternativa nestas eleições.

Durante a tarde, fomos ao encontro dos Camaradas das fábricas como Cabelte em Arcozelo;  Groz-Beckert (fábrica das agulhas) em Valadares e no final da tarde ao Salvador Caetano em Oliveira do Douro.

 

Mais uma vez não esquecemos a luta de todos e todas e como tem sido habitual a presença do Bloco de Esquerda de Gaia, nesta e outras empresas.
Desta vez viemos recordar que precisamos da Força de Todos, para juntos termos Mais para quem tem menos 

 

A Força do BE nas Noites de Gaia

Vários bloquistas estiveram na noite passada nas ruas de Vila Nova de Gaia, mostrando que todos juntos, podemos fazer melhor.

A força do Bloco de Esquerda em Gaia é diferente, pois “Mais para quem tem menos” tem de ser posto em prática mesmo antes do dia 01 de Outubro.

No próximo Domingo, Votar no Bloco de Esquerda é votar na Voz do Povo.

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑