Na totalidade do concelho, o Bloco aumentou substancialmente o número eleitos – que passou de 4 para 10 – e foi a terceira força em todas as freguesias em que concorreu, bem como na votação geral para a Câmara e Assembleia Municipal.

Apesar disso, estes são uns resultados ainda muito fracos, que não estão à altura do que se pode esperar de um partido com a presença que o Bloco hoje tem na cena nacional.

A Câmara de Gaia continua a não ter um vereador do Bloco, tendo até sido reduzido ainda mais o pluralismo político do Executivo municipal (que já era pouco), com 9 vereadores de uma lista e 2 de outra.

Na Assembleia Municipal, a nossa representação passou de 1 para 2 deputados municipais.

Nas freguesias, passámos de 3 eleitos para 8, no total, elegendo 2 em Mafamude / Vilar do Paraíso e em Canidelo (onde só tínhamos 1), mantivemos 1 em Santa Marinha / Afurada e elegemos em Gulpilhares / Valadares, em Vilar de Andorinho e em Oliveira do Douro, onde não tínhamos representação.

O Bloco concorreu apenas a 10 das 15 freguesias e uniões de freguesias do concelho, de qualquer modo foi o maior número de candidaturas que alguma vez tivemos.